RSS

Empresário leva livros para a nuvem e libera espaço nas prateleiras

A falta de espaço nas residências de famílias e em 65% das escolas públicas e privadas do Brasil dificulta a implementação de uma biblioteca física, mas isso não é uma barreira, segundo o criador da biblioteca online Nuvem de Livros.

Jonas Suassuna, presidente do Grupo Gol, produtor e distribuidor de conteúdos multimídia de entretenimento e educação, sabe que sua paixão pela literatura está no sangue. Ele é sobrinho do escritor paraibano Ariano Suassuna e foi o responsável pela criação da Nuvem de Livros, uma biblioteca online multiplataforma, feita em parceria com a companhia telefônica Vivo, que disponibiliza os arquivos educacionais sem a necessidade de download.

A ideia do projeto, que nasceu há sete anos e foi implantado há dois, veio do “inconformismo” do empresário com a falta de acesso aos livros em escolas públicas, principalmente de regiões remotas do Brasil.

Leia Mais

Fonte: Portal Terranuvemdelivros473701efe

 
 

curso lato sensu em divulgação científica

Até 25 de fevereiro, estarão abertas as inscrições para o curso de pós-graduação lato sensu em Divulgação da Ciência, da Tecnologia e da Saúde, que terá início em 25 de março de 2013.

O curso é fruto de parceria entre Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, Casa da Ciência (UFRJ), Fundação Cecierj, Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) e Jardim Botânico. A maioria das aulas acontece no campus da Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos.

Com duração de aproximadamente um ano (carga horária de 360h presenciais) e 20 vagas disponíveis, o curso é voltado a profissionais de diferentes formações, como jornalistas, museólogos, comunicadores, educadores, cenógrafos, produtores culturais, professores de ciências, cientistas entre outros.

O valor de inscrição é R$ 50,00, mas o curso é gratuito. O processo seletivo inclui ficha de inscrição, apresentação de pré-projeto e de carta de motivação, além de entrevista.

Para acessar a chamada pública e se inscrever, acesse: http://www.sigals.fiocruz.br/inscricao/cadastro.do?acao=telaInicial&codCL=9262&codECL=7418&codI=475

 
Deixe um comentário

Publicado por em 03/12/2012 em Sem categoria

 

“Efeito Google” transforma internet em memória auxiliar; especialistas não veem problema

Se você usa a internet com tanta frequência e intensidade, talvez sinta o “drama” que será descrito a seguir. Você já não lembra mais a data de aniversário daquele amigo do colégio. Não sabe o nome da rua daquele restaurante que gosta e quer indicar ao colega de trabalho. E como era mesmo o nome daquela atriz… naquele filme… que acabou de passar no cinema? Mas, certamente, você sabe bem onde encontrar todas essas informações. Facebook, Google, Twitter, IMDB: basta buscar pela palavra-chave. Estamos ficando sem memória? Mais burros? Fique aliviado: especialistas consultados pelo UOL Tecnologia dizem que ainda não.
Uma pesquisa da Universidade de Columbia indica que as pessoas estão cada vez mais dependentes dessas informações armazenadas no mundo online. É como se usássemos o Google, por exemplo, como uma memória externa auxiliar. A psicóloga Betsy Sparrow teve a ideia de fazer esse estudo justamente quando não conseguiu se lembrar do nome de uma atriz ao ver um filme – e recorreu imediatamente ao smartphone para procurar a informação online.

Durante os experimentos para testar a memória de estudantes “cobaias”, Betsy dizia a uma parte do grupo que as informações fornecidas a eles seriam guardadas no computador, enquanto à outra parte dizia que seria apagada. Depois, aplicava testes para saber o quanto eles se lembravam delas. Os estudantes que não podiam recorrer ao computador se lembravam de mais informações que os que tinham acesso a ele. Porém, esse segundo grupo, quando perguntado sobre onde estavam as informações salvas no PC, respondiam de forma correta facilmente.

Saiba Mais: UOL Notícias Tecnologia

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/08/2012 em Tecnologia

 

Livro que se apaga se não for lido

Um editora teve uma ideia original. Foi criada uma tinta especial que começa a desaparecer quando entra em contacto com a luz e com o ar. Em média o texto escrito no livro desaparecerá dois meses depois que a embalagem for aberta.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26/08/2012 em Biblioteconomia

 

Biblioteca Virtual Universitária 3.0 traz personalização e interatividade

São Paulo – A nova edição da Biblioteca Virtual Universitária (BVU), solução educacional exclusiva da Pearson Brasil – pertencente ao grupo britânico Pearson, com atuação em mais de 70 países e líder em soluções educacionais e editoriais – foi lançada para mais de 100 instituições educacionais.

A Biblioteca Virtual 3.0 traz novidades como a organização personalizada de obras em “estantes virtuais” e recursos de anotações eletrônicas que permitem gravar comentários no perfil do usuário, por meio de login e senha de acesso. Desta forma, cada um poderá selecionar e registrar separadamente os livros de interesse, e ainda fazer uso de uma ferramenta de anotações eletrônicas que permitem não só gravar comentários nos livros, como também compartilhar em redes sociais e email.

Além disso, tablets que utilizam os sistemas operacionais Android ou iOS poderão navegar na nova plataforma, que também contará com a integração de recursos multimídia das editoras parceiras, trazendo mais interatividade e tornando o conteúdo mais rico, didático e completo, contando com melhorias no sistema de leitura que adotam diferentes níveis de zoom.

Considerada referência no mercado editorial, o conteúdo das 12 editoras parceiras, gerido pela Pearson Brasil, é formado por mais de 1.800 livros que cobrem mais de 40 áreas de conhecimento. Instituições de ensino superior, como Estácio de Sá, Universidade Norte do Paraná (Unopar), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Fundação Getúlio Vargas (FGV), ESPM, entre outras, disponibilizam acesso ao acervo digital da Biblioteca Virtual para seus alunos e professores.

A novidade também conta com a parceria da Digital Pages, empresa responsável pelo desenvolvimento tecnológico da Biblioteca Virtual Universitária desde sua segunda edição. Alinhada à preocupação da Pearson em atender as necessidades dos estudantes, a empresa desenvolveu diferentes recursos para aumentar a interatividade do estudante com a plataforma na versão 3.0.

Leia Mais

 
 

Funcionários da Biblioteca Nacional pedem obras urgente

RIO – Ela abriga relíquias como partituras originais das óperas de Carlos Gomes, manuscritos sobre a administração colonial no Brasil e a primeira edição de “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, de 1572, entre outros importantes registros históricos e artísticos. Mas foi por causa de sua arquitetura eclética, baseada em projetos franceses de meados do século XIX, que em 1973 a Biblioteca Nacional foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Apesar disso, a burocracia estatal tem impedido a realização de reformas emergenciais. Na quarta-feira, servidores da biblioteca fizeram uma manifestação nas escadarias da instituição, no Centro, para cobrar obras urgentes para os males que afligem o prédio: goteiras, paredes rachadas, periódicos destruídos por uma inundação em maio, ratos e baratas. Ainda segundo os manifestantes, com o ar-condicionado desligado há cerca de três meses, o calor ultrapassa os 40 graus.

Última grande reforma nos anos 80

Em outubro, o prédio vai completar 112 anos. A direção da Fundação Biblioteca Nacional diz que não tem poupado esforços para arrumar a casa, embora a última grande reforma tenha sido feita na década de 1980. Como noticiou ontem o jornalista Ancelmo Gois em sua coluna no GLOBO, a FBN firmou contrato para a troca do sistema de ar-condicionado, desligado desde maio, quando uma avaria causou a inundação de quatro dos seis andares do armazém de periódicos e a destruição de boa parte do acervo. Vários outros projetos estão em andamento, de acordo com a assessoria de comunicação da instituição. Além disso, no início deste mês, foi concluída a instalação de um sistema de detecção de alarme de incêndio.

Na quarta-feira, cerca de 50 manifestantes levaram um bolo com muitas velas para a escadaria da biblioteca, na Avenida Rio Branco, para celebrar, de forma irônica – conforme o texto lido pelos funcionários no local -, o “aniversário das baratas que infestam todo o prédio, com destaque para seu ‘berçário’, no quinto andar; das pragas que gostam muito de papel; brocas, traças e cupins, que ameaçam permanentemente o acervo; dos ratos do primeiro andar”. Outro problema apontado durante a manifestação é o excesso de peso exercido sobre a estrutura do prédio.

– Ficamos muito apreensivos após o desabamento dos prédios na Avenida Treze de Maio (que aconteceu em janeiro deste ano). Ainda mais quando sabemos que há uma sobrecarga de peso do acervo na Biblioteca Nacional. O prédio foi construído com capacidade para abrigar 800 mil volumes. Hoje, há mais de nove milhões de volumes. E a média de recepção é de cem mil por ano. A situação é resultado de décadas de abandono e deterioração – criticou Lia Jordão, vice-presidente da Associação dos Servidores da Biblioteca Nacional, que organizou a manifestação realizada ontem.

Vários tapumes metálicos cercam o prédio da biblioteca. O objetivo é impedir que pedestres se aproximem demais do imóvel e corram o risco de se ferir com pedaços de reboco que possam cair.

Fonte: Agência O GLOBO

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25/08/2012 em Obras Raras

 

Câmara Brasileira do Livro promove concurso de teses científicas

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) recebe até o dia 10 de abril inscrições para um concurso de teses científicas. Os vencedores terão oportunidade de expor sua produção na terceira edição do Congresso Internacional CBL do Livro Digital, que será realizado em São Paulo nos dias 10 e 11 de maio.

Os trabalhos deverão abordar um dos seguintes temas: “Novos modelos de negócios relacionados aos livros digitais”; “Aspectos de usabilidade de leitores digitais (e-readers)”; “Bibliotecas Digitais”; “Aspectos educacionais dos livros digitais”; “Direitos autorais e Copyright”; “Marketing do livro digital”; “Redes sociais e livros digitais”; “O novo papel do editor”.

Os dois primeiros colocados receberão prêmio em dinheiro, terão os trabalhos publicados na Revista de Gestão da USP e espaço para apresentar suas teses para os congressistas.

Realizado pela CBL desde 2010, o evento tem como objetivo discutir tendências do mercado editorial de conteúdo digital. Nesta terceira edição, o tema central será “A nova cadeia produtiva de conteúdo – do autor ao leitor”.

Os modelos de negócios, os aspectos tecnológicos, os direitos autorais e o comportamento do leitor são algumas das questões que serão abordadas por palestrantes brasileiros e estrangeiros.

Nesse contexto, o concurso de teses científicas tem como objetivo estimular a contribuição da academia na definição dos rumos desse novo segmento do mercado editorial no Brasil.

O regulamento completo do concurso e as regras para a inscrição dos trabalhos estão disponíveis no endereço www.congressodolivrodigital.com.br/site/trabalhos-cientificos.

Fonte: FAPESP